71IZU-beyvL

Clube de leitura com o filósofo e escritor Juliano Garcia Pessanha

Data / Hora
27/09/2018
20:00 - 22:00


Quintaleiras e Quintaleiros,

Convidamos vocês a participar do nosso Clube de Leitura, uma roda de discussão sobre uma obra literária, lida por todos os participantes no decorrer de um mês.

Os encontros são mensais e duram duas horas. Ao final de cada encontro um novo livro é escolhido, por sugestão do mediador e dos participantes, e depois de um mês todos se encontram novamente para mais uma rodada.

Como funciona: o clube de leitura do Quintal Amendola acontece na última quinta-feira de cada mês.

Sobre o mediador: Juliano Garcia Pessanha é mestre em Psicologia (PUC-SP) e doutor em filosofia (USP). Autor de “Sabedoria do nunca (1999), “Ignorância do sempre (2000), “Certeza do agora (2002) e “Instabilidade perpétua (2009. Recebeu o prêmio Nascente (Abril-USP) nas categorias poesia e ficção, em 1997, e o Grande Prêmio da Crítica APCA na categoria Literatura, em 2015, por “Testemunho Transiente”, reunião de sua tetralogia.

 OBRA: “Caderno de memórias coloniais”, da Escritora Isabela Figueiredo. 

Sobre a obra escolhida: obra-prima da literatura portuguesa de hoje, o livro de Isabela Figueiredo é um devastador ajuste de contas com a situação colonial. Caderno de memórias coloniais foi publicado em 2009 em Portugal. Sucesso de público, foi saudado como uma obra-prima. E é de fato um genial acerto de contas da autora com o passado colonial de Portugal e com seu pai, um eletricista português radicado em Moçambique. O pai parece personificar Portugal: despreza e explora os nativos. O “melhor” de Moçambique ficava com os brancos: as boas praias, os bares, a vida cultural e social, as melhores oportunidades. Tudo isso é visto pelos olhos de Isabela, que lá nasceu em 1963 e teve que se mudar para Portugal nos anos 1970, durante o contexto da descolonização. O livro é uma espécie de Carta ao pai (de Kafka), um acerto de contas num texto que mescla memória, ensaio, observação pessoal e ficção. O livro tem origem num blog da autora, canal pioneiro para tentar trazer mais realidade à narrativa edulcorada do Portugal africano. Até então, havia uma enxurrada de memórias cor de rosa e piedosas de brancos que nasceram e cresceram nas colônias portuguesas e que nunca tratavam das questões reais e duras do passado: a exclusão da população local (negra), os trabalhos subalternos e mal-remunerados destinados aos locais, o racismo. Autora da FLIP 2018.

DATA E HORÁRIO: 27/09, das 20h às 22h.

INSCRIÇÕES: http://quintalamendola.com.br/programacao/clube-de-leitura-com-o-filosofo-e-escritor-juliano-garcia-pessanha/

Contribuição: o custo para cada participante é apenas o da compra do livro, feita diretamente pelo participante. Quanto as contribuições financeiras, como sempre, serão voluntárias – o valor doado é dividido entre o espaço e o mediador.

 

Links FLIP 2018

Link da íntegra em áudio da mesa em que o mediador participou na FLIP com a escritora Isabela Figueiredo:

Link Jornal O Globo:

https://oglobo.globo.com/cultura/livros/flip-corpo-bom-nao-tabu-nem-quando-diferente-diz-portuguesa-isabela-figueiredo-22929577

Link Jornal O Estado de São Paulo:

https://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,flip-2018-a-escrita-de-si-e-da-dor-por-isabela-figueiredo-e-juliano-garcia-pessanha,70002420851

 

Bem vindos/as!

 

Abraços,

Daniela e Tatiana

 

 

 

Reservas

O Quintal Amendola é localizado em São Paulo, no bairro Alto de Pinheiros. Para receber o endereço completo, é necessário fazer sua reserva em uma ou mais atividades.

O Evento está com as reservas esgotadas.

Comments are closed.

Design por Thomas Mourão